Saúde & Bem Estar

5 regras de dietas para não prejudicar sua saúde

5 regras de dietas para não prejudicar sua saúde

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Qual é o melhor jeito de emagrecer? Entrar em jejum rigoroso ou fazer cortes drásticos no cardápio? Nenhuma das opções!

"Dietas altamente restritivas são insustentáveis em longo prazo", alerta o endocrinologista Pedro Assed, pesquisador do Grupo de Obesidade e Transtornos Alimentares (Gota) do Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia (Iede). "Você talvez perca peso rápido, mas são grandes as chances de recuperar tudo depois."

A restrição exagerada em qualquer aspecto da sua alimentação pode derrubar a energia, causando sonolência, dor de cabeça, queda de cabelo, problemas cardíacos, distúrbios renais e até confusão mental. "O mais eficiente é corrigir seus hábitos para a vida toda", ensina a nutricionista Paula Castilho, de São Paulo. Um estudo da área de Pesquisa e Inteligência de Mercado da Editora Abril que ouviu 1 190 internautas acima de 25 anos preocupados em levar uma vida saudável concluiu que 74% deles fizeram dieta em algum momento. Nessa ocasião, em vez de sair cortando sem critérios, observe algumas regras que funcionam e preservam sua saúde.  

Fazer de quatro a seis refeições por dia: café da manhã, lanche, almoço, lanche, jantar e ceia. "Jejum é uma das piores estratégias para emagrecer", explica Paula. "Pular refeições atrapalha o metabolismo. O corpo armazena energia em vez de gastá-la. E cresce o perigo de exagerar na refeição seguinte." Portanto, nada de abolir o jantar. À noite, prefira alimentos menos calóricos e de fácil digestão.

Começar a refeição por uma salada de folhas e grãos: "Fornece fibras, que conferem saciedade e melhoram o trabalho do intestino", informa Pedro Assed. Em 1930, cada pessoa consumia 150 gramas por dia. Hoje, não passa de 30 gramas. Por isso, há tanta queixa de prisão de ventre e abuso de gordura e açúcar. Prove novas hortaliças e use temperos diferentes: iogurte, aceto balsâmico, um fio de azeite.

Reduzir o consumo de produtos industrializados, doces, refrigerantes e fast foods, cheios de gordura, açúcar, sódio e calorias. Escolha frutas, verduras, sementes e grãos integrais, ricos em vitaminas e minerais. Na pesquisa da Abril, 81% dos entrevistados admitiram comer fast foods até duas vezes por semana e  93% reconheceram a necessidade de ingerir mais algum alimento saudável. 

Beber 2 litros de água por dia: Menos da metade (43%) dos entrevistados segue essa recomendação. Segundo Paula Castilho, a boa hidratação ajuda a manter a temperatura do corpo estável, a eliminar toxinas no suor e na urina, a ter a a pele elástica e macia e a controlar o peso.

Pedir orientação a um profissional em vez de seguir dicas de fontes duvidosas. "O que funciona para alguns talvez não dê certo pra você", orienta a nutricionista. Escolhas erradas e substituições pouco saudáveis tornam a alimentação monótona e pobre nos nutrientes necessários aos gastos diários.

Fonte: Estúdio ABC

 

Recomendamos para você!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba as novidades em seu e-mail!

NOTA IMPORTANTE:

Cada artigo aqui veiculado tem seu próprio autor, que é o responsável direto pelo conteúdo. 

Veiculamos materiais inspiradores, compartilhando informações, conhecimentos, experiências e pontos de vista. 

Os artigos veiculados no Blog respeitam os conteúdos fielmente, dão crédito aos seus autores e fontes, com total integridade. Caso você queira compartilhá-los, por gentileza adote o mesmo procedimento. As boas práticas inspiram e edificam. 

As imagens usadas foram pesquisadas na internet e algumas são autorais.  Caso você possua os direitos sobre estas imagens, mande um e-mail para contato@centralcolmeia.com.br e podemos colocar os créditos ou substituímos por outras.

Uma sociedade bem estruturada, depende da produtividade de todos. Ao gerar benefícios, de forma produtiva, conquistamos PROSPERIDADE COLETIVA.

Site criado por Renato Miranda